.: Laboratório de crack em hotel de Ponta Negra

DIÁRIO DE NATAL – 27/nov/2009
Foto: PF-RN/Divulgação

Numa operação para prevenir oferta de drogas no Carnatal, PF deteve cinco pessos e apreendeu 6kg do entorpecente

Carga encontrada no quarto do grupo ia ser dividida em milhares de pedras de crack, segundo a polícia

Numa operação de fiscalização em hotéis da capital, a Polícia Federal conseguiu desmontar um mini-laboratório de crack em Ponta Negra, prendeu cinco pessoas e apreendeu 6,63 kg da droga, por volta das 18h da quarta-feira. Segundo o superintendente da PF/RN, o delegado Marcelo Mosele, a operação tinha por objetivo prevenir o comércio de entorpecentes para o Carnatal. Os acusados são dois irmãos amazonenses, sendo um auxiliar de topografia, 33 anos e um comerciante de 40 anos, um motorista paraense de 34 anos, além de dois maranhenses, um feirante e uma personal training, ambos de 24 anos.

Marcelo Mosele explica que agentes da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), deram início nesta semana a um trabalho de fiscalização na rede hoteleira da capital para verificar a possibilidade de hóspedes que tivessem se preparando para vender drogas para as festividades que ocorrerão na cidade nos próximos dias. Em um dos hotéis visitados, em Ponta Negra, a polícia pediu informações sobre pessoas que tivessem chegado recentemente à cidade, buscando, assim, traçar o perfil de algum suspeito. No local, chamou a atenção, o fato de um casal maranhense ter alugado um apartamento que passou a ser utilizado também por outros três homens em sistema de rodízio, sendo que todos se apresentavam como turistas e um deles parecia ter sotaque estrangeiro.

Diante disso, os policiais federais resolveram monitorar o grupo. Durante a tarde da quarta, enquanto uma delas permanecia no quarto, as outras saíram e quando retornaram trouxeram na mala do carro alguns utensílios de cozinha, como um fogão de duas bocas e um forno elétrico.

Horas depois depois, um dos homens deixava novamente o apartamento e nesse instante foi abordado. Os policiais pediram que ele os levasse até o quarto e, então, flagraram o restante do grupo com uma espécie de “mini-laboratório” para a fabricação de crack montado em cima da cama. A droga já estava pronta e guardada em cinco depósitos plásticos.

Os acusados foram então presos e conduzidos para a sede da Polícia Federal, onde foram autuados em flagrante por tráfico de drogas. Eles permanecem custodiados, à disposição da Justiça. De acordo com a PF, alguns dos presos, no momento em que eram interrogados, alegaram inocência, enquanto outros preferiram manter-se calados. Dos cinco, pelo menos quatro possuem antecedentes criminais.

Milhares de pedras

Marcelo Mosele destaca a importância da prisão, pois “com esse laboratório, eles podiam ainda triplicar a quantidade da droga, então imagine quantas milhares de pedras poderiam ser obtidas daí”. Somente em 2009, a Polícia Federal já prendeu em flagrante 51 pessoas acusadas de tráfico de drogas.

%d blogueiros gostam disto: