Contaminação do nitrato na água no RN continua em 20%

Nominuto.com – 22/mar/2010, por Marília Rocha

Segundo diretor-presidente da Caern, Walter Gasi, o problema só será resolvido após as obras do Jiquí.
A rede de águas no Rio Grande do Norte continua com a taxa de contaminação por nitrato avaliada em 20%, segundo informações do diretor-presidente da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), Walter Gasi, em entrevista ao Jornal 96, da 96 FM na manhã desta segunda-feira (22).
“A presença de nitrato na rede de águas do Estado continua poluída em 20%. Este problema será resolvido com a obra do Jiquí, que irá misturar a água poluída com a pura, deixando assim o teor de nitrato abaixo dos 10 litros, resultando em apenas 8% de contaminação. O investimento na adutora do Jiquí vai ofertar mais de 900 mil litros de água por hora, despoluindo a água contaminada”, afirma Walter Gasi.
No dia mundial da água, o diretor da Caern afirma que a população tem muito a refletir, pois futuramente o preço da água doce que estará valendo até mais do que a gasolina. “No Rio Grande do Norte estamos investindo cerca de R$ 916 milhões em obras de saneamento e distribuição de água, um valor importante para a saúde pública do Estado”, afirma. Segundo a Organização Mundial das Nações Unidas (ONU), para cada um dólar gasto, são economizados quatro a menos com a rede de saúde.
Walter Gasi comentou ainda que a falta de água nos bairros de Natal variam de acordo com a faixa, sendo zona alta e zona baixa. “Nas zonas mais altas, a água tem uma maior dificuldade, por causa da pressão, ocasionando falta de água em alguns bairros”, explica Walter.
Ele conta que os bairros mais problemáticos são os mais antigos, pela construção da tubulação de fibra e cimento. “Para melhorarmos a rede de abastecimento seriam necessários R$ 30 milhões para trocas dos canos feitos de fibra e cimento: é um programa caro, mas que será alto-sustentável a partir de janeiro”, afirma.
Durante a entrevista, Walter Gasi comentou ainda sobre a Estação de Tratamento do Baldo. “A obra representa benefícios para 250 mil habitantes em 21 bairros e vai despoluir o rio Potengi e melhorar o esgotamento sanitário de Natal”, justifica.
Os investimentos em pessoal também foram comentados. “A Caern está treinando seus técnicos durante cinco meses para lidar com a implementação das novas técnicas”, conclui.
Sobre a situação dos aqüíferos, o diretor-presidente da Caern afirma que o manancial do Rio Grande do Norte terá investimento de R$ 20 milhões, principalmente em San Vale.
Emissário

Na última sexta-feira (19), em audiência pública, a Caern discutiu juntamente com técnicos da USP a questão do emissário submarino, que tem investimentos de R$ 80 milhões. “Eles analisaram o projeto e disseram que a melhor solução era o emissário submarino. O problema é que o modelo tinha sido apresentado com dados insuficientes e usando como exemplo situações diferentes, mas vamos usar o projeto certo em Ponta Negra”, descreve.
Varela Santiago

A parceria entre a Caern e o Hospital Varela Santiago também foram comentadas. “Hoje, a Caern tem 580 mil usuários ativos. Se cada um contribuir com apenas R$ 1 real, teremos R$ 580 mil por mês. É uma campanha fundamental, com foco na contribuição social para o trabalho de apoio as crianças em tratamento”, comenta Walter Gasi.
%d blogueiros gostam disto: