Sustentabilidade: para militante, preocupação é restrita ao discurso

O jornalista Yuno Silva, idealizador do Movimento SOS Ponta Negra, fundado em 2006, com o objetivo de propor um amplo debate sobre o equilíbrio entre desenvolvimento e qualidade de vida no bairro e praia de Ponta Negra, discorda da promotora Raquel Germano na questão política. Para Yuno, os políticos não têm responsabilidade com o meio ambiente como deveriam. “Desenvolvimento sustentável para político é apenas retórica. Para eles, a palavra só existe no dicionário. Sustentabilidade é uma conseqüência de compromisso, equilíbrio, bom senso, educação e responsabilidade”, disse.

O representante do Movimento SOS Ponta Negra afirma que a legislação ambiental brasileira é avançada, mas que não é respeitada. “Na teoria as leis são modernas, contudo na prática não são respeitadas. O principal entrave é o imediatismo porque ninguém pensa no futuro”, opina Yuno.

Questionado sobre as principais ações que o próximo governador do estado deve fazer para implantar o desenvolvimento sustentável, Yuno cita o investimento no turismo. “Nosso estado é altamente turístico, por isso o desenvolvimento tem que partir dessa área. O governo poderia impor que resorts ou empreendimentos de luxo que resolvessem se instalar aqui contratasse a população local para trabalhar porque a chegada desses empreendimentos só aumenta o abismo social”, sugere.

Na opinião de Yuno, essa seria uma das oportunidades de o gestor melhorar a “falsa impressão de desenvolvimento” vivida atualmente pelo Rio Grande do Norte. “A Copa 2014 está ai e nossos profissionais ainda nem foram qualificados em outra língua e não sabem praticamente nada de informática. Precisamos capacitar jardineiros, copeiras, camareiras para que possam, pelo menos, manter um mínimo de diálogo com os hóspedes que vierem nos visitar”, cita o jornalista.

%d blogueiros gostam disto: